ARQUITETURA CÊNICA

Teatro Oficina

Consultoria e Projetos de Cenotecnia e Iluminação Cênica – Novo Teatro Oficina. São Paulo, 1989 Ficha Técnica EQUIPE DE PROJETO Projeto de Arquitetura:  Arquitetos: Lina Bo Bardi e Edson Elito. Colaboradores: Roberto Tobo; Adilson Viviani; Luiz Soares; Rubens; Heloisa; Simone; Claudio; Laercio; Vicente; Isabella. Concepção Cênica: Teatrólogo José Celso Martinez Correa. Fotos: Arq. Isidoro Singer e Arquivo. PROJETOS COMPLEMENTARES Cenotecnia e Iluminação Cênica: Arquiteto e Cenógrafo José Carlos Serroni Estrutura: Engenheiro Roberto Rochlitz, Engenheiro Isaías Abdalla Instalações Eletroeletrônicas: Rheno Instalações Hidráulicas Engenheiro Roberto Tanaka Acústica e Sonorização Professor Conrado Silva de Marco Circuito de TV: Antonio de Salles Teixeira Neto Conforto Ambiental: Física Marcia Peinado Alucci Quantificação: Engenheiro Oswaldo Sato Apoio Logístico: Arquitema – Arquitetos Associados Gerenciamento: Ass. Obras da Secretaria de Estado da Cultura – Arq. Silvio Guimarães CPOS – Companhia Paulista de Obras e Serviços Construção: Construtora Vilanova

Teatro do Colégio Santa Cruz

Projetos de Arquitetura – Arquitetura Cênica e Comunicação Visual do Teatro do Colégio Santa Cruz. São Paulo, 1997 As necessidades do Colégio Santa Cruz, eram construir um teatro dentro do campus, que pudesse ser utilizado em atividades curriculares e em eventos paralelos da escola, e, ao mesmo tempo, que fosse um teatro aberto à comunidade. Os conceitos iniciais de possibilidades da relação palco-platéia, elaborados pela arquitetura cênica indicavam que o teatro deveria oferecer além dos tipos tradicionais como palco italiano, elizabetano, arena, abrir perspectivas para possibilidades de uso ainda não conhecidas e que estimulassem a pesquisa na área. A partir desses esquemas, o desafio foi responder arquitetonicamente às demandas conceituais e o fizemos prevendo uma sala com volume interno da platéia de 20m x 20m e altura de 13m, com uma platéia fixa de 210 lugares, uma platéia inferior desmontável de 120 lugares e balcões e galerias com 150 lugares, podendo ainda receber cadeiras adicionais para determinados eventos. O palco está nivelado com o acesso do público e se comunica a este, sempre em nível, pelos proscênios laterais, o que, por si só, já define uma ruptura com a divisão palco/platéia, mesmo na configuração de palco italiano: a platéia avança sobre o palco e este sobre a platéia. A platéia inferior desmontável está encaixada numa espécie de fosso de 1m de profundidade abaixo do nível do palco, e as poltronas, que estão sobre placas móveis, se apoiam em praticáveis reguláveis na altura por mecanismo pantográfico, o que permite que toda […]

Teatro e Ginásio do SESC Belenzinho

Consultoria e Projeto de espaços para espetáculos – Teatro e Ginásio do SESC Belenzinho. São Paulo – SP <h5> Ficha técnica </h5> Sesc Belenzinho Local São Paulo – SP Início do projeto: 2001 Conclusão da obra 2010 Área do terreno: 32.000 m2 Área construída: 50.000 m2 Luminotécnica Franco+Fortes Lighting Design – Gilberto Franco e Carlos ortes (autores) Arquitetura Ricardo Chahin Fotos: Andrés Otero